Ações Diversas

Mudança na Maria da Penha ajuda vítimas das cidades fora da sede da comarca

Nesta semana o presidente da República Jair Bolsonaro sancionou a lei 13.827, que complementa a Lei Maria da Penha (11.340/06) em dois pontos. O primeiro concede autoridade para que o policial determine uma medida protetiva imediata para a vítima de violência.

A novidade é válida somente para os municípios que não são sede de comarca. Ou seja, não há um magistrado disponível para decretar o afastamento imediato do agressor do lar. Segundo o Conselho Nacional de Justiça, dos 5.561 municípios brasileiros, 51,6% não são sede de comarca.

O complemento da Maria da Penha determina que, quando isso ocorrer, o magistrado precisa ser comunicado em até 24 horas. Após este prazo, será responsável por manter ou suspender a medida protetiva.

Para o sócio-fundador do Zanette & Trentin Escritório de Advocacia, Dr. Giancarlo Donato, a mudança é extremamente benéfica. “Muitas vezes, as primeiras horas após o relato da agressão resultam em novos episódios de violência e, no pior dos casos, no homicídio da vítima”, explica o advogado.

LEIA TAMBÉM: Lei Maria da Penha: conheça os cinco tipos de violência contra a mulher

A outra alteração prevê o registro da medida protetiva em um banco de dados do Conselho Nacional de Justiça (CNJ). Desta forma, a determinação poderá ser acessada pelo Ministério Público, Defensoria Pública, órgãos de segurança e assistência social. Assim, o cumprimento da medida protetiva poderá ser acompanhado.

O Zanette & Trentin conta com advogados especializado em Direito Penal. Estamos à disposição para esclarecer dúvidas sobre este e outros assuntos. Venha conversar conosco!

9 comentários em “Mudança na Maria da Penha ajuda vítimas das cidades fora da sede da comarca

  1. Lian Rodrigues

    Se vale para mim também amei ❤️

    Curtir

  2. Bianca Fortes

    interessante

    Curtir

  3. Fabíola Cordova

    Ontem pela primeira vez fui agredida pelo meu namorado.. estava bêbado.. fiquei com muito medo… estou muito triste e abalada.. Não quero mais namorar ele.. acham que ele merece meu perdão??

    Curtir

  4. Carla Cristina (não uso meus nomes por segurança)

    Foi quando decidi morar junto com o namorado que descobri que havia algo de errado com seu relacionamento. Fui impedida de frequentar o curso de jornalismo em que estava matriculada e as brigas foram dos gritos aos socos em poucos dias. O primeiro tapa que ele me deu foi quando fui à padaria comprar pão de sal e cheguei com pão de forma. Meu ex-namorado me bateu todos os dias por 365 dias. As agressões aconteciam pelos mais diversos motivos, sempre que ele tinha uma desculpa. Um dia fugi e mudei de Estado, o juiz deixou mudar meu primeiro nome. Hoje sou feliz. Tomara que todas tenham possibilidade de fazer como eu.

    Curtir

  5. Eliane Dambroz

    Se todas fossem na igreja com seus maridos e não mantivessem relação sexuais com namorados nunca isto ia acontecer. Só na igreja há salvação. Glória a Deus pai proteja família. Amém

    Curtir

  6. Caxias não muda nada. Aqui tem delegacia atende bem nos finais de semana.

    Curtir

  7. José Fiorio

    Acho correto, as pessoas têm que ter alternativa

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: